Sábado, 25 de Junho de 2022 19:48
(83)99637-2411
Geral Rio Grande do Norte

Governadora Fátima Bezerra abre a I Feira Nordestina da Agricultura Familiar

Pela primeira vez, estados do Nordeste se associam para melhor organizar e promover políticas públicas para a economia solidária.

16/06/2022 09h40
Por: Redação Fonte: Secom Rio Grande do Norte
RAIANE MIRANDA / ASSECOM / RN
RAIANE MIRANDA / ASSECOM / RN

Muita alegria, saberes e sabores marcaram a abertura da “Grande Festa da Colheita” nesta quarta-feira (15), no Centro de Convenções de Natal, em Ponta Negra. Com a presença das governadoras do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, e do Piauí, Regina Souza, e da vice-governadora de Sergipe, Eliane Aquino, a solenidade reuniu expositores, representantes dos movimentos sociais, de associações e cooperativas, e gestores públicos dos nove estados do Nordeste para celebrar a “festa que brota do chão”, como afirmou o músico e ator Igor Fortunato em sua intervenção cultural.

“Muito feliz em celebrar um momento tão emblemático para o nosso Estado. Com muito orgulho, eu posso afirmar que o Rio Grande do Norte é referência em políticas públicas voltadas para a agricultura familiar. Nós temos clareza do potencial que ela tem no contexto da segurança alimentar, trazendo alimentação saudável e, ao mesmo tempo, o apoio ao homem do campo, ao agricultor e à agricultora, para que eles possam plantar e produzir cada vez mais”, afirmou a chefe do poder executivo no Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, ao abrir a primeira edição da Feira Nordestina de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Fenafes).

Reunindo na capital potiguar mais de 1.200 agricultores do Nordeste e 200 toneladas de alimentos, que serão comercializados desta quarta até domingo (19), a I Fenafes tem o grande objetivo de ser espaço de socialização de políticas públicas. No total, cerca de 12 mil participantes são esperados no Centro de Convenções de Natal nos cinco dias de evento.

A governadora do RN lembrou que a realização do evento integra o Programa de Alimentos Saudáveis do Nordeste – PAS/NE, principal bandeira dos estados que fazem o Consórcio Nordeste, e ressaltou seu objetivo de impulsionar potenciais econômicos em comum, bem como as boas práticas de gestão e planejamento. “E é exatamente isso que fazemos aqui nesta Feira”, avaliou Fátima Bezerra.

Reafirmando a importância do segmento para a segurança alimentar, Fátima destacou o seu papel estratégico para tirar o país da crise alimentar que recolocou o Brasil no Mapa da Fome, um cenário social que já havia sido vencido em 2013, segundo a Organização das Nações Unidas. “Somente a agricultura familiar pode acabar com a fome que voltou a assombrar as famílias brasileiras”, ressaltou.

Para a gestora, o mais importante é que, no Rio Grande do Norte, a construção e implementação das políticas voltadas ao fomento e valorização da agricultura familiar, responsável por 70% dos alimentos que vão para a mesa dos brasileiros, “vem sendo feitas em parceria com os movimentos sociais e dialogando com o setor produtivo, tendo como carro chefe um programa protagonista, que é o Pecafes. Uma política pública que está contribuindo para promover o desenvolvimento rural sustentável do Rio Grande do Norte, garantindo a soberania alimentar para o nosso povo, gerando emprego e renda e ofertando alimentos saudáveis para quem mais precisa de saúde”.

O Estado criou e está sendo exemplo regional na execução do Programa Estadual de Compras Governamentais. Ele estabelece que, pelo menos, 30% das compras governamentais sejam feitas à agricultura familiar. Em três anos foram investidos cerca de R$ 25 milhões na compra direta a 1.200 agricultores e agricultoras autônomos ou associados e cooperados. Mais de 260 mil famílias em todo o estado já receberam cestas de alimentos contendo produtos da agricultura familiar através desta iniciativa criada a partir da Lei Estadual nº 10.536 /2019 apresentada pela deputada Isolda Dantas.

Para a governadora do Estado do Piauí, Regina Souza, “o Consórcio Nordeste foi uma grande sacada. Os estados se juntarem para tratar das suas identidades, das suas diferenças, das suas dificuldades. Isso foi muito bom. E a Feira vem mostrar que o Nordeste não é apenas um cantinho do país, mas o Brasil pujante, valente”.

Da mesma forma, a vice-governadora de Sergipe, Eliane Aquino, avalia que o evento mostra a força dos agricultores familiares “que têm feito chegar às nossas mesas as frutas e os sabores. Muito obrigada pela força e resiliência de vocês nunca terem desistido, principalmente no momento que o Brasil está vivenciando. Quero agradecer, também, à essa companheira que tem feito uma revolução tão linda e forte no Rio Grande do Norte, que é a nossa companheira Fátima Bezerra. O Brasil é uma grande potência”.

E é nesse contexto que, para o secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar, Alexandre Lima, a Feira da Agricultura Familiar se coloca como espaço estratégico de discussão e diálogo entre urbano e rural aqui no nosso estado. “Este é o momento de reafirmar uma posição estratégica que esse segmento possui como grande produtor de alimentos, responsável por mais de 70% do que chega à mesa do consumidor. E também de quebrar o paradigma de que a agricultura familiar é mera subsistência. E essa Feira diz justamente o contrário, de que a agricultura familiar tem um conjunto de experiências que vão além da subsistência, com acesso a mercado e produção de alimentos saudáveis”, avaliou o gestor.

Josana Lima, coordenadora nacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Condraf), considerou que "a feira é a prova de que homens e mulheres do campo resistem ao retrocesso, produzem e demonstram que a agricultura contribui para o desenvolvimento dos estados e do país. A presidente da Unicafes - União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária, Fátima Torres, tem avaliação semelhante, e pontuou: "construímos junto com Governo do Estado esta feira que é grande oportunidade para fortalecer o setor".

Representando a Assembleia Legislativa, a deputada estadual Isolda Dantas, afirmou que "a feira diz ao Nordeste e ao Brasil que a agricultura familiar produz, e produz sem veneno, alimentos de qualidade. A deputada federal Natália Bonavides ressaltou que a Fenafes "é símbolo do compromisso dos governos do RN e dos estados do Nordeste de apoio a quem produz o alimento que a população brasileira consome”. E ressaltou que “neste momento tão assustador que o país vive, o Nordeste tem sido resistência. Temos feito política com a lógica de que a vida vale. De forma oposta à tanta coisa ruim que tem sido feita à nível nacional. Defendemos uma lógica de produção diferente da lógica predatória”.

Soluções para saúde

A Feira terá lugar também para o debate e estímulo à produção de plantas medicinais e fitoterapia na perspectiva agroecológica em prol de territórios saudáveis e sustentáveis. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), vai realizar a quinta edição da Feira de Soluções para a Saúde.

“O nosso trabalho tem como referência o programa de territórios saudáveis sustentáveis. Estamos trabalhando estratégias para a agenda 2030, que tem a inovação do campo social como um dos eixos fundamentais”, explica Nísia Trindade, presidenta da Fiocruz;

Na programação, diversas oficinas e um painel que visam estimular o diálogo e debater soluções em saúde para melhorar as condições de vida das populações que vivem no campo, nas florestas e nas águas.

Sobre a Feira

A I FENAFES é uma co-realização entre Governo do Estado Rio Grande do Norte e a União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária do RN – UNICAFES, voltada ao fomento e à valorização da agricultura familiar nordestina.

A iniciativa partiu da Câmara Temática da Agricultura Familiar do Consórcio Nordeste, coordenada pela governadora Fátima Bezerra. O objetivo principal é fortalecer iniciativas de integração de políticas públicas em torno do Programa de Alimentos Saudáveis do Nordeste, principal bandeira do Consórcio.

O evento está sendo executado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar - Sedraf, em parceria com Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural – Emater-RN, Fundação José Augusto, e conta com financiamento do projeto Governo Cidadão, via acordo de empréstimo com o Banco Mundial e apoio de outros entes parceiros.

O Rio Grande do Norte investiu no evento R$ 640 mil, obtido por meio de empréstimo junto ao Banco Mundial, e conta com a participação de 150 cooperativas e associações, e 500 expositores.

A expectativa é que durante os cinco dias de evento, que segue até domingo (19), seja possível “colher e desenvolver para o mercado aquilo que o Nordeste está produzindo no tripé: crédito, assistência técnica e comercialização”, explica De Assis Diniz, ex-presidente da Câmara Técnica da Agricultura Familiar do Consórcio Nordeste e coordenador do Fórum Regional dos Secretários da Agricultura Familiar do Nordeste e Minas Gerais, que idealizou o tema para a I Fenafes.

Atrações Culturais e Festival Gastronômico

Mais do que espaço de comércio e empreendimento, a feira tem ainda o caráter de reafirmação da identidade cultural nordestina. E isso por meio de saberes e sabores que caracterizam o seu povo nordestino, que constam da programação, como o “Sabores da Terra” e o Festival Gastronômico.

Renata Aguiar, representando o Goodala Burger, uma empresa local, localizada em Ponta Negra comemorou a presença no evento. “Tudo vegano, com uma ideologia muito massa, inserido num cenário cultural daqui de Natal, e está participando da Feira é muito importante pra gente”.

Apesar da cultura do comer hambúrguer não ser brasileira, um levantamento da plataforma de entregas iFood apontou o hambúrguer como a comida mais pedida pelos brasileiros em 2021. E se a Feira traz o conceito de alimentação saudável, o estabelecimento é o único do tipo em Natal que trabalha com ingredientes totalmente livres de origem animal. A proposta é oferecer uma boa comida e experiência. No evento, a Hamburgueria Artesanal Vegana está oferecendo Hot-Dog vegano e outras delícias veganas.

Há ainda shows de artistas de destaque regional e nacional que tem atraído a população potiguar e turistas.

Ademilde, de Taubaté, São Paulo, está conhecendo a capital potiguar e foi ao primeiro dia de evento. “Estamos curtindo aqui o Rio Grande do Norte e soubemos da Feira, nos interessamos pelas atrações culturais e viemos mais cedo para conhecer também o que está sendo exposto e comercializado aqui”, disse.

Presenças na abertura

Além dos já citados, acompanharam a governadora da solenidade de abertura da I Fenafes o vice-governador, Antenor Roberto, os secretários estaduais Daniel Cabral (Comunicação), Gustavo Coelho (Infraestrutura), Cipriano Maia (Saúde), Iris Oliveira (Sethas), Ana Maria da Costa (Turismo), a Subsecretária de Políticas para as Mulheres, da Secretaria de Estado das Mulheres, da Juventude, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos , Vanessa Fialho, o subsecretário de Juventude, Gabriel Medeiros, o diretor da Fundação José Augusto, Fábio Lima, a diretora-presidente da Agência de Fomento do Rio Grande do Norte, Edivane Vilar, o diretor técnico do Sebrae, João Hélio, a equipe da Emater e da secretaria de Educação.

Participaram, ainda, a reitora da UERN, Cicília Maia, o gerente de Projetos do Banco Mundial, Leonardo Bichara, o presidente da Contag, Aristides Santos, o coordenador Nacional do MST, Alexandre Conceição, o coordenador Nacional da ASA, Cícero Félix, o vice-presidente da OCERN, Joseilson Medeiros, o deputado estadual Hermano Morais, as vereadoras de Natal, Divaneide Basílio e Brisa Brach, grupos de mulheres rurais, associações, cooperativas, movimentos sociais, sindicatos dos trabalhadores rurais, secretários dos noves estados nordestinos, secretários municipais, universidades e institutos.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias