Quinta, 25 de Fevereiro de 2021 19:12
(83)99637-2411
Educação Confira Agora

Sindicato das Escolas Particulares da Paraíba diz que acatará decisões tomadas pelos gestores públicos para frear contaminação do coronavírus

Nos últimos dias, o número de casos confirmados e de mortes por Covid-19 aumentou em toda a Paraíba.

22/02/2021 11h43
Por: Redação Fonte: ClickPB
Sindicato das Escolas Particulares da Paraíba diz que acatará decisões tomadas pelos gestores públicos para frear contaminação do coronavírus

A suspensão das aulas presenciais na rede particular de ensino da Paraíba deve ser uma das medidas anunciadas pelo gestores públicos para frear o aumento de casos de coronavírus no Estado. Ao ClickPB, o presidente do Sindicato das Escolas Particulares, Odésio Medeiros, informou que qualquer decisão a ser determinada pelo poder público será acatada. 

“Nós não sabemos ainda qual a decisão, mas seja qual for, as escolas acatarão porque trata-se de uma pandemia e nós queremos o bem-estar de todos. Não só dos nossos alunos, mas como também da população em geral”, afirmou em conversa com o portal. O retorno das aulas presenciais na rede privada ocorreu de forma escalonada e com limitações de 50% da capacidade e cumprimento de protocolos sanitários.

Nos últimos dias, o número de casos confirmados e de mortes por Covid-19 aumentou em toda a Paraíba. O governador do Estado, João Azevedo (Cidadania), e o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (Progressistas), participam, nesta segunda-feira (22), de reunião que definirá quais medidas serão tomadas para diminuir o aumento de casos da doença. Na Região Metropolitana de João Pessoa e no Sertão, a ocupação dos leitos de unidades de terapias intensivas (UTIs) passam de 84% e as enfermarias quase chegando aos mesmos níveis.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias