Sexta, 07 de Maio de 2021 20:15
(83)99637-2411
Ceará Confira

'Perdi quatro pessoas que eu mais amava para o vírus', lamenta cearense após morte de mãe, pai, irmão e marido por Covid-19

Assistente social e empresária Vivian de Oliveira Sousa perdeu o pai, a mãe, o irmão e o marido em um intervalo de 20 dias; diagnosticada com a doença, ela está internada em um hospital da cidade.

12/03/2021 12h06
Por: Redação Fonte: G1
À esquerda, Vivian de Oliveira com a filha e o marido, que morreu por Covid-19. À direita, a mãe, o irmão e o pai de Vivian, também vítimas da doença. — Foto: Arquivo pessoal
À esquerda, Vivian de Oliveira com a filha e o marido, que morreu por Covid-19. À direita, a mãe, o irmão e o pai de Vivian, também vítimas da doença. — Foto: Arquivo pessoal

Após perder o pai, a mãe, o marido e o irmão para a Covid-19 no intervalo de 20 dias, a assistente social e empresária Vivian de Oliveira, que também está internada com a doença em estado estável em um hospital de Fortaleza, fez um apelo à população para que siga as medidas de segurança para evitar o contágio pelo coronavírus. "Quem ama cuida. Por isso, obedeçam às normas sanitárias e fiquem em casa. Eu perdi quatro pessoas que eu mais amava para o vírus e a dor é inesquecível."

De acordo com Vivian, a primeira pessoa a se infectar na família, em meados de fevereiro, foi a cunhada. Logo depois o irmão, a mãe e o pai contraíram o vírus. "A minha cunhada ficou internada, mas teve alta e está se recuperando em casa", disse. Além dos adultos, a sobrinha dela de 1 ano e 7 meses e a filha de 1 ano e 5 meses também testaram positivo para a Covid-19, mas não necessitaram de internação.

Os óbitos aconteceram em intervalos curtos de tempo. O pai faleceu no dia 20 de fevereiro. No dia seguinte foi o irmão. Seis dias depois, a mãe também faleceu. E no último dia 10 de março, o marido da assistente social não resistiu à doença.

Vivian conta que ainda não conseguiu ter tempo para processar todo o sofrimento passado nos últimos dias e pensa agora em cuidar das crianças. "Hoje eu me sinto triste, abalada, desacreditada. Tem horas que parece que é um pesadelo. Eu não tive tempo de poder ter todo esse sofrimento ainda para lutar por eles, que estão precisando de mim, da minha força, eu preciso cuidar da minha filha. Só quem sente essa dor é quem passa", desabafa.

Ainda internada, em estado estável, a assistente social disse que não precisou ser entubada nem de receber oxigênio. Ela disse que busca na fé a força para superar tantas perdas. "Essa doença é muito traiçoeira. Estou buscando ajuda psicológica, na família e principalmente em Deus, que tem sido o meu refúgio nesse momento de dor", finaliza.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Riacho dos Cavalos - PB
Atualizado às 20h11 - Fonte: Climatempo
28°
Pancada de chuva

Mín. 23° Máx. 36°

31° Sensação
12 km/h Vento
67.1% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (08/05)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 23° Máx. 36°

Sol com algumas nuvens
Domingo (09/05)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 35°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias