Segunda, 27 de Setembro de 2021
33°

Poucas nuvens

Riacho dos Cavalos - PB

Saúde ALERTA

Delta e infectologista reforça a necessidade do cuidado coletivo

Fernando Chagas ressalta ainda que é preciso lembrar que a Paraíba ainda tem uma parcela da população não vacinada.

01/09/2021 às 05h19 Atualizada em 01/09/2021 às 05h47
Por: Redação
Compartilhe:
Delta e infectologista reforça a necessidade do cuidado coletivo

A Paraíba registrou nesta terça-feira (31), 25 casos da variante Delta no Estado. O anúncio foi feito pela Secretaria de Estado da Saúde, que afirmou ainda que a transmissão da variante já se dá de forma comunitária. A linhagem mais contagiosa da covid-19 foi detectada em 12 municípios paraibanos. Diante deste novo momento, o infectologista do Sistema Hapvida em João Pessoa, Fernando Chagas, alerta para a necessidade do cuidado coletivo.

“Diante de todas as variantes do Sars-CoV-2 que já vimos até agora, a Delta é mais contagiosa. Precisamos entender que neste momento é necessário evitar a lotação dos ambientes, sobretudo, bares e festas com muita gente. Além de seguir cobrando a utilização de máscara em ambientes de uso comum, algo que podemos ver que deixou de ser feito em alguns locais”, analisa o infectologista.

Fernando Chagas ressalta ainda que é preciso lembrar que a Paraíba ainda tem uma parcela da população não vacinada. Destaca que é preciso redobrar as medidas de prevenção no combate à covid-19, pois toda a população pode ficar mais exposta e, consequentemente, gerar um novo aumento de casos. “É essencial pensar e cuidar de modo coletivo”, sugere.

Variante Delta – Os vírus passam por mutações o tempo todo e existem alterações que podem tornar a doença mais infecciosa ou perigosa. Atualmente, existem milhares de variantes do vírus que causa a covid-19 circulando no mundo. A variante Delta é até 60% mais contagiosa do que a Alfa e quase duas vezes mais transmissível do que a cepa original.

Transmissões comunitárias – São casos de transmissão do vírus entre a população de uma localidade. Uma pessoa infectada que não esteve nos países com registro da doença transmite o vírus para outra pessoa, que também não viajou.

Assessoria – Hapvida

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias